Site Info
Release
Trajetória
Discografia
Áudio
Fotos
Vídeos
Links
Aulas e Contato
Home
Clique e ouça faixas de toda a carreira de Zé Eduardo Nazario, entre trabalho solo, projetos coletivos e participações
Discografia / Projetos Coletivos
Ampliação da capa
Ouça "Minas d'Água "
Ouça "Flor do Sul "
Ouça "Dança das Águas / Maracatu / O Sétimo Portal / A Xêpa / Psicopático"
Maracatu / O Sétimo Portal
A Xêpa / Psicopático

CD gravado ao vivo em 1998 e 2002, lançado em 2004 pelo selo Editio Princeps.


Ao Vivo - Hoje
Percussônica
2004
1. N'Daê   3'56
(Zé Eduardo Nazario)
2. Percussônica 1'19
(Zé Eduardo Nazario / Lelo Nazario / Felipe Avila)
3. Hoje 6'45
(Zé Eduardo Nazario)
4. Não Temo 5'14
(Zé Eduardo Nazario)
5. Minas d'Água 5'21
(Zé Eduardo Nazario)
6. Festa na Rua   7'09
(Lelo Nazario / Rodolfo Stroeter)
7. Flor do Sul 7'37
(Lelo Nazario)
8. CEP 7'47
(Felipe Avila
9. Africana 6'09
(Lelo Nazario)
10. Dança das Águas 4'05
(Lelo Nazario)
11. Maracatu 0'59
(Zé Eduardo Nazario)
12. O Sétimo Portal 9'10
(Lelo Nazario)
13. A Xêpa 6'59
(Zé Eduardo Nazario)
14. Psicopático 4'54
(Zé Eduardo Nazario / Lelo Nazario / Felipe Avila)
Lelo Nazario, Zé Eduardo Nazario e Felipe Avila
Zé Eduardo Nazario bateria, percussão, khena do Laos e berimbau
Lelo Nazario teclados
Felipe Avila guitarra, guitarra synth
Marlui Miranda participação especial em "Festa na Rua" (percussão e voz)
   

Faixas 6, 7, 10, 11, 12, 13 e 14 gravadas em 15/10/98 no ZILDJIAN DAY BRASIL.
Local: Espaço Domus – São Paulo

Faixas 1, 2, 3, 4, 5, 8 e 9 gravadas em 22/10/02 no Projeto JAZZ EM HARMONIA BRASILEIRA.
Local: Centro Cultural Banco do Brasil – São Paulo

 

Produção Executiva Marcelo Spindola Bacha
Produção Zé Eduardo Nazario
Co-Produção Lelo Nazario e Felipe Avila
Engenheiros de Som Alberto Ranellucci (15/10/98) (Estudio Tom Brasil)
Renato Coppola
(22/10/02)
Masterização Lelo Nazario no Utopia Studio, 08/2004
Fotos Clarissa Lambert
Projeto Gráfico Rodrigo Araujo e Adriana Cataldo
 
  Texto de Zé Eduardo Nazario incluído no CD "Ao Vivo - Hoje".

N´DAÊ – Em 1977 ganhei uma khena do Laos, uma flauta esquisita com vários tubos de bambu, cada um produzindo uma nota e harmônicos com intervalos diversos. Daí compus esse tema, que gravei algumas vezes com arranjos diferentes (inclusive com o Grupo Um, no álbum "Reflexões Sobre a Crise do Desejo", de 1981). É uma coisa meio brasileira e meio oriental, indiana, zen.

PERCUSSÔNICA – É uma composição coletiva com sons percussivos, acústicos e eletrônicos, perfeitamente integrados, numa concepção de música contemporânea que poucos conseguem realizar ao vivo, com maestria. É a nossa música, do nosso tempo, está dentro de nós; sinto muito!...

HOJE – É um solo de bateria, uma ponte entre as músicas "Percussônica" e "Não Temo", e não vejo nome melhor do que esse, pois a cada dia o solo é diferente. Esse é o de HOJE.

NÃO TEMO – É uma composição antiga (1969) de minha autoria, e que só agora foi gravada. Basicamente, um tema de jazz com a forma ABA, sendo que A tem oito compassos e B vinte e quatro compassos, fugindo um pouco do convencional. Usei três diferentes ritmos, uma coisa meio funk, um pouco de jazz e samba.

MINAS D'ÁGUA – Desde que me mudei para o sul de Minas Gerais, visito freqüentemente o circuito das águas: São Lourenço, Caxambu, Lambari. Esse solo de berimbau é uma homenagem a Minas e às águas que fluem constantemente. É delas que eu bebo.

FESTA NA RUA – É um tema do Lelo e do Rodolfo Stroeter que se desenvolve sobre um ostinato com timbres muito interessantes que o Lelo criou nos teclados, e sobre ele se desenrola uma melodia em que a voz da Marlui e a guitarra do Felipe se encaixam perfeitamente, com o ritmo costurado pelo berimbau. Não é nenhum ritmo conhecido, foi algo que criei e que se fixou como uma luva na peça.

FLOR DO SUL – Esse tema do Lelo conta com uma linda introdução, uma intrincada seqüência melódico-harmônica em que a guitarra, a percussão e os efeitos nos pratos entram como um componente complementar, criando uma atmosfera misteriosa. Em seguida, uma chamada de bateria (que trabalha com vassouras) dá início ao diálogo que se desenvolve durante a parte rítmica do tema (uma mistura de samba, baião e outras coisas mais): um AB cujo A não tem número definido de compassos no improviso e depende de uma ligação muito estreita entre nós, pois de repente vai pro B, seguindo-se de uma parte em sete tempos em que a guitarra improvisa, para voltar ao A e em seguida se dissolver.

CEP – Tema de Felipe Avila, que eu já tocava com ele em uma versão com contrabaixo, teclado e saxofone, por volta de 1986. Começa com um samba em 5, indo para uma segunda parte com mudanças de compasso, em que a bateria acentua como numa big band de jazz, porém com melodia e harmonia contemporâneas, caindo em seguida num ostinato lento, que serve de cama para a improvisação livre do teclado. Seguem-se frases escritas sobre o improviso crescente, voltando adiante ao samba em 5 para a improvisação da guitarra dentro da harmonia e depois novamente ao tema, finalmente caindo no ostinato lento com a melodia sobre ele num crescendo para o final. Ufa!

AFRICANA – É o tema mais simples em sua estrutura, um ostinato rico em timbres e com uma certa complexidade rítmica criada pelo Lelo nos teclados, enquanto Felipe tece outros timbres na guitarra e improvisa livremente junto com o Lelo, e eu trabalho com os caxixis, fazendo a cama rítmica.

DANÇA DAS ÁGUAS – Composta pelo Lelo e adaptada para essa ocasião. Acordes no teclado indicam a estrutura, um tema em 19 batidas (estilo tabla indiana), muito usado em solos de tabla, aqui fazendo um "vamp" para o solo de bateria (inspirado na tabla). Segue uma segunda parte aberta com os acordes superpostos, voltando então para a primeira parte, novamente com acordes superpostos, indo para o final.

MARACATU – Baseado no ritmo tradicional do Recife. Tocado na bateria, soa como vários percussionistas juntos, com o Lelo apoiando no agogô eletrônico. Serve como breve introdução para o tema seguinte.

O SÉTIMO PORTAL – Um tema complexo do Lelo, com muita orquestração, ritmo, melodia e harmonia. Composto e arranjado com muita habilidade, foi trabalhado ritmicamente por mim em cima do maracatu, mas com uma visão contemporânea – em que o tradicional se transforma em novo, sem perder a raiz, a base rítmica.

A XÊPA – É um tema meu, baseado no baião e no xaxado, composto em 1977 num pífano (flauta de bambu) e depois transformado nisso que está aqui, uma onda para se curtir.

PSICOPÁTICO – Citando o "Neurótico" de Sérgio Mendes, como pretexto, mas põe neurótico nisso... É uma improvisação maluca em homenagem à cidade de São Paulo, um samba louco, com solo de bateria para finalizar.

Zé Eduardo Nazario, 2005

 
  Site Info | Release | Trajetória | Discografia | Áudio | Fotos | Vídeos | Links | Aulas e Contato | Home